fbpx

Sua empresa gasta mais do que fatura? Veja 05 dicas para reduzir os custos!

Sua empresa gasta mais do que fatura? Veja 05 dicas para reduzir os custos!

Mesmo após cortar diversos gastos e diminuir investimentos, o departamento financeiro da sua empresa continua no vermelho?

Então fique em alerta: Esse sinal indica que os gastos da sua organização estão maiores que os faturamentos e coloca em risco todas as metas e objetivos do seu negócio!

Nós sabemos que manter o controle financeiro não é uma tarefa fácil! E os números da última pesquisa realizada pelo Serasa Experian nos confirmam isso: segundo os dados coletados, o número de empresas inadimplentes e com o CNPJ negativado chegou a 4,9 milhões só no ano passado!

Pensando na abrangência e na importância desse tema, escrevi esse post com 04 dicas fundamentais e que toda empresa deve saber e fazer para reduzir seus custos e prevenir seu patrimônio financeiramente!

Confira:

O que fazer quando minha empresa gasta mais do que fatura?

Os impostos da sua empresa estão muito altos? As contas a pagar estão maiores do que o faturamento? As vendas dos produtos e serviços não estão na melhor fase?

Independente de qual for o seu problema, a partir de agora você vai conferir as principais dicas que os gestores da Direto escreveram para você equilibrar seu caixa e prevenir a sua empresa de possíveis imprevistos. Veja:

 

Avalie seu Regime de Tributação:

Imposto sobre Produto Industrializado (IPI); Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS); Contribuição Social sobre o Faturamento das Empresas (COFINS); Imposto aplicado sobre Movimentações Financeiras (CPMF) …

Não é difícil perceber que grande parte do orçamento de uma organização é destinado ao pagamento de tributos, correto? Por isso, para evitar que sua empresa pague mais impostos do que deveria, é importante que ela esteja enquadrada no Regime Tributário correto e mais viável financeiramente para seu ramo de atividade.

Isso acontece porque cada tipo de Regime de Tributação (Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional) apresenta uma maneira diferente de pagar impostos e entregar declarações ao Governo, pois seus tributos abrangem características que vão de acordo com o tamanho da empresa, porte, número de funcionários e atividade da empresa geradora de receita.

Fique atento e faça o mais rápido possível uma análise do Regime de Tributação da sua empresa!

+ Regime Tributário: Qual é o melhor para cada tipo de empresa?

 

Contrate uma Consultoria:

Você já pensou em contratar uma consultoria financeira, fiscal ou contábil para ajudar no controle de gastos e faturamentos da sua empresa ou procurar o problema que está afetando o caixa do seu negócio?

Hoje em dia, a contratação de uma consultoria externa ou interna, está se tornando cada vez mais eficaz e eficiente, na medida que ela imprime agilidade aos negócios e promove mudanças que, muitas vezes, são difíceis de serem executadas dentro da própria empresa.

Além disso, ela pode exercer as mais variadas funções, como: ajudar no controle de gastos e recebimentos, realizar relatórios e declarações que deverão ser entregues ao Governo, gerenciar todos os impostos que devem ser pagos, auxiliar na tomada de decisões e outros.

Por isso, se você está precisando de um “help” financeiro e quer ter uma vantagem competitiva no mercado, pense bem e considere essa opção também!

+ Consultoria: 05 Sinais que é hora de contratar uma!

 

Diferencie a contabilidade da administração financeira:

É comum que algumas empresas não diferenciem a área contábil da administração financeira, já que ambas são responsáveis pela mesma coisa: o dinheiro organizacional.

Mas é importante lembrar que cada uma tem uma função diferente, por exemplo, através da contabilidade, é possível identificar se a empresa está equilibrada financeiramente a cada exercício e, principalmente, saber onde estão os principais gastos da organização.

Já, com a administração financeira, é possível fazer a tesouraria, administrar as contas a pagar e a receber, bem como captar e investir os recursos gerados pela atividade econômica desenvolvida pela empresa. 

Por isso, é comum ver que algumas organizações estão com impostos pagos em dia, enquadradas no Regime Tributário adequado, com balanços e balancetes corretos, mas resultando em prejuízos.

 Portanto, para ter uma boa saúde financeira e evitar que sua empresa gaste mais do que fature, é necessário que ambos departamentos trabalhem juntos, analisem os números gerados pelos seus relatórios, organizem estratégias e apliquem dentro da sua organização.

 

Separe as contas pessoais das empresariais:

Pode parecer óbvio, mas nem sempre isso acontece na prática!

Grande parte dos empreendedores e empresários (engana-se quem pensa que isso só ocorre nas micro e pequenas empresas) utiliza os lucros gerados pela organização de maneira pessoal, gerando grandes desequilíbrios financeiros e fiscais para o próprio negócio!

Tal atitude, além de ser irregular do ponto de vista contábil, é um erro financeiro que pode impedir a continuidade e causar graves problemas para qualquer empresa, independente do seu ramo de atividade ou porte.

Além disso, ao misturar as despesas da organização com as despesas pessoais, não é possível realizar um planejamento financeiro correto, fazendo com que os gestores não tenham um real entendimento e compreensão das demandas que envolvem o fluxo de caixa e as questões financeiras da empresa.

Ahh! Não podemos esquecer também que essa mistura de contas pode resultar em problemas nas Declarações de Imposto de Renda, tanto para a Pessoa física como jurídica.

 

Revise a CNAE:

A CNAE é uma Classificação Nacional de Atividades Econômicas, que tem como objetivo padronizar e regularizar as atividades de quem trabalha com serviços e bens de consumo.

Cada ramo apresenta impostos diferentes ou com valores alterados, por isso, é importante que você revise se a CNAE da sua empresa ainda é válida para o seu tipo de negócio!

Você pode consultar a classificação da sua organização através do código contido na nota fiscal da sua empresa. Dessa forma, você pode ter a certeza de que não está pagando mais impostos por uma classificação inadequada.

#Ficaadica

 

Considerações Finais

 

Espero que com essas dicas, você consiga organizar melhor o seu setor financeiro e criar diferentes estratégias para redução de custos e aumento de lucros!

A avaliação do Regime de Tributação, assim como a CNAE, é uma ação que deveria ser realizada anualmente, pois de acordo com o crescimento e desenvolvimento do seu negócio, a viabilidade e a quantidade dos impostos podem sofrer alterações no decorrer do caminho.

Já a contratação de uma consultoria, a diferenciação da contabilidade do setor financeiro e a separação das contas pessoais das empresarias, são tópicos que devem ser realizados com mais frequência, principalmente se a sua organização enfrenta muitos problemas financeiros.

Ficou com alguma dúvida ou quer conversar mais com a gente sobre outros meios de evitar que a sua empresa gaste mais do que fatura? Então mande um e-mail para: [email protected].

Falando em custos, que tal aproveitar  e conferir esses outros posts sobre o assunto?

Por Cinthia Sayuri, departamento de Marketing da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria. ?

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Outros artigos que podem te interessar

PRORROGADO: PARCELAMENTO DO SIMPLES NACIONAL

Prorrogação dos prazos de pagamento de parcelamentos: as datas de vencimento das parcelas mensais relativas aos parcelamentos administrados pela Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (RFB) e pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), dos tributos apurados no âmbito do Simples Nacional e do Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos abrangidos pelo

PRORROGADO:VENCIMENTO DOS PARCELAMENTOS EFETUADOS NO ÂMBITO DA RFB E PGFN

Em decorrência da pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19), declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os prazos de vencimento de parcelas mensais relativas aos programas de parcelamentos administrados pela Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (RFB) e pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), foram prorrogados conforme segue: PRAZO ATUAL —– PRAZO PRORROGADO Maio/2020 —-

Outros artigos que podem te interessar

Assine nossa Newsletter